VAN ACKER, Leonardo

     Nasceu na Bélgica, em 1896, radicando-se no Brasil na década de vinte, para onde foi mandado substituir Monsenhor Sentroul (1876/1933) na Faculdade de Filosofia mantida pelos beneditinos em São Paulo, que foi assistida desde a fundação pela Universidade de Louvain, onde Van Acker fez a sua formação e era professor. Embora muito bem sucedido no magistério, onde conseguiu fazer muitos discípulos, notadamente a partir da integração da faculdade à Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, nas décadas de trinta e quarenta teve muitos atritos com a liderança católica ligada ao Centro Dom Vital. Sendo um espírito aberto, na linha fixada por sua Universidade de Origem, discordava da adesão cega à filosofia de Maritain e o desapreço pelas outras vertentes. Com a criação do Instituto Brasileiro de Filosofia, em 1949, logo integrou-se ao seu trabalho, participando da diretoria e ali promovendo cursos livres. Com a evidência de que a politização, de caráter pendular, da liderança católica nada tinha de filosófica, o entendimento da filosofia católica proposto por Van Acker passa a ser extremamente valorizado. Faleceu em São Paulo em 1986.

Bibliografia:

Curso de filosofia do direito.  (Separata da Revista da Universidade Católica de São Paulo).

Introdução à filosofia-lógica.  São Paulo : Saraiva, 1932.  322 p.

Filosofia e educação de S. Tomás de Aquino.  São Paulo : Odeon, 1935.  (Em colaboração com Maria Ignez de Moraes Cardim).

A filosofia Bergsoniana.  São Paulo : Martins, 1959.  200 p.

Elementos de lógica clássica formal e material.  2. ed.  completamente reformulada.  São Paulo : Revista da PUC, 1971.  216 p.

A filosofia contemporânea.  São Paulo : Convívio, 1981.  193 p.  (Biblioteca do pensamento brasileiro, Textos, 1).

O tomismo e pensamento contemporâneo.  Prefácio Miguel Reale.  São Paulo : Convívio, 1983.  238 p.

Estudos sobre o autor:

BIBLIOGRAFIA de Leonardo Van Acker.  Revista Brasileira de Filosofia, São Paulo, v. 36,  n. 145,  p. 56-62, jan./mar. 1987.

CAMPOS, Arruda.  Tomismo e neotomismo no Brasil.  São Paulo : Grijalbo, 1968.  p. 125-129.

_____.  Leonardo Van Acker.  (1896-1986).  Convivium, São Paulo, v. 25,  n. 4, p. 327-330,  jul./ago. 1986.

DAMANTE, Hélio. Leonardo Van Acker.  O Estado de S. Paulo,  São Paulo,  2 ago. 1986.

FERRAZ, Esther de Figueiredo.  Professor doutor Leonardo Van Acker.  Revista Brasileira de Filosofia, São Paulo, v. 35, n. 143, p. 242-245, jul./set. 1986.

LADUSÃNS, Stanislavs.  Rumos da filosofia atual no Brasil; em auto-retratos.  São Paulo : Loyola, 1976.  p. 371-380.

MATTOS, Carlos Lopes de.  Van Acker, Leonardo.  Elementos de lógica clássica , formal e material.  2. ed.  São Paulo, 216 p.  Revista Brasileira de Filosofia, São Paulo, v. 22, n. 87, p. 369-371, jul./set. 1972.

MELO, Gladstone Chaves de.  O pensamento filosófico no Brasil.  Carta Mensal, Rio de Janeiro, v. 16, n. 202, p. 39-53, 1972.

PADOVANI, Humberto et al.  História da filosofia.  2. ed.  São Paulo : Melhoramentos, 1956.  p. 495.

PAIM, Antonio.  História das idéias filosóficas no Brasil.  5. ed.  Londrina : Ed. UEL, 1997.  p. 703-706.

REALE, Miguel.  Prefácio.  In : VAN ACKER, Leonardo.  O tomismo e o pensamento contemporâneo.  São Paulo : Convívio, 1983.  xiv-238 p.

_____.  Leonardo Van Acker (1896-1986).  Revista Brasileira de Filosofia, São Paulo, v. 35, n. 143, p. 1-2, jul./set. 1986.

SILVA, Antonio de Resende.  O tomismo aberto de Van Acker.  Um instrumento heurístico do saber contemporâneo.  Rio de Janeiro : PUC, 1977.  177 p.  (Tese de mestrado).

SOUZA, José Pedro Galvão de.  Leonardo Van Acker e a renovação da filosofia do direito.  O Estado de S. Paulo, São Paulo, 21 ago. 1986.

VILLAÇA, Antonio Carlos.  O pensamento católico no Brasil.  Rio de Janeiro : Zahar, 1975.  p. 165.