MERQUIOR, José Guilherme

     Nasceu no Rio de Janeiro em 21 de abril de 1941, tendo concluído o curso de direito na Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ). Optando pela diplomacia, cursou o Instituto Rio Branco. Na carreira diplomática iniciou-se pela Embaixada em Paris, tendo sido conselheiro da Embaixada do Brasil em Montevidéu, Ministro da Embaixada Brasileira em Londres e Embaixador do Brasil no México e na UNESCO. Na sua estada parisiense fez o curso de doutorado em Estudos Latino-Americanos, na Universidade de Paris e durante a permanência em Londres, o curso de doutorado em sociologia da London School of Economics. Desde muito jovem tornou-se colaborador frequente de jornais e revistas brasileiras, envolvendo-se em diversas polêmicas. Como escritor, ocupou-se inicialmente da crítica literária e, mais tarde, de ciência política. Faleceu em Nova York, EUA em 8 de janeiro de 1991.

Bibliografia:

Razão do poema;  ensaios de crítica e de estética. Rio de Janeiro : Civilização Brasileira, 1965.  247 p. (Perspectiva do homem, 7).

Arte e sociedade em Marcuse, Adorno e Benjamin; ensaio crítico sobre a escola neo-hegeliana de Frankfurt.  Rio de Janeiro : Tempo Brasileiro, 1969.  311 p. (Biblioteca tempo universitário, 15).

A astúcia da mímese; ensaios sobre lírica.  Rio de Janeiro : José Olympio, 1972.  227 p.

Saudades do carnaval; introdução à crise da cultura.  Rio de Janeiro : Forense, 1972. 283 p.

Formalismo e tradição moderna; o problema da arte na crise da cultura. Rio de Janeiro : Forense, 1974.  332 p.

A estética de Lévi-Strauss.  Rio de Janeiro : Tempo Brasileiro, 1975. (Biblioteca tempo universitário, 40).

L’Esthétique de Lévy Strauss.  Paris, 1977.

O estruturalismo dos pobres e outras questões.  Rio de Janeiro : Tempo Brasileiro, 1975.  87 p. (Diagrama, 2).

Verso universo em Drummond. Tradução Marly de Oliveira.  Rio de Janeiro : José Olympio/Secretaria de Estado da Cultura, Ciência e Tecnologia, 1975.  261 p. (Coleção documentos brasileiros, 169).  Elaborado originalmente em francês, como tese de doutorado e aprovado pela Sorbone em junho de 1972.

_____.  2. ed. Rio de Janeiro : José Olympio, 1976.  261 p.

De Anchieta a Euclides; breve história da literatura brasileira, I.  Rio de Janeiro : José Olympio, 1977.  (Coleção documentos brasileiros, 182).

_____.  2. ed.  Rio de Janeiro : José Olympio, 1979.  238 p.  (Coleção documentos brasileiros, 182).

_____.  3. ed.  Rio de Janeiro : Topbooks, 1996.  313 p.

The veil and the mask: essays on culture and ideology.  Londres : Routledge & Kegan Paul, 1979.

O fantasma romântico e outros ensaios.  Petrópolis : Vozes, 1980. 167 p. (Coleção theoremata, 1).

Rousseau and Weber: two studies in the theory of legitimacy.  Londres : Routledge & Kegan, 1980.

Rousseau e Weber : dois estudos sobre a teoria da legitimidade. Tradução Margarida Salomão.  Rio de Janeiro : Guanabara, 1980.  305 p.

As idéias e as formas.  Rio de Janeiro : Nova Fronteira, 1981.

As idéias e as formas.  2. ed.  Rio de Janeiro : Nova Fronteira, 1981.  347 p.

A natureza do processo.  Rio de Janeiro : Nova Fronteira, 1982.  217 p.  (Logos).

O argumento liberal.  Rio de Janeiro : Nova Fronteira, 1983. 260 p.  (Logos).

O elixir do apocalipse.  Rio de Janeiro : Nova Fronteira, 1983.  210 p.

Michel Foucault ou o niilismo de cátedra.  Tradução Donaldson M. Garschagen.  Rio de Janeiro : Nova Fronteira, 1985.  277 p.

O marxismo ocidental.  Tradução Raul de Sá Barbosa.  Rio de Janeiro : Nova Fronteira, 1987.  323 p.

Crítica : 1964-1989.  Rio de Janeiro : Nova Fronteira, 1990.  454 p.

De Praga a Paris : uma crítica do estruturalismo e do pensamento pós-estruturalista. Tradução Ana Maria de Castro Gibson.  Rio de Janeiro : Nova Fronteira, 1991,  334 p.

O liberalismo - antigo e moderno.  Rio de Janeiro : Nova Fronteira, 1991. 260 p.

O véu e a máscara : ensaio sobre cultura e ideologia.  Tradução de Lólio Lourenço de Oliveira.  São Paulo : T. A. Queiróz, 1997. 160 p.

O liberalismo social : uma visão histórica.  São Paulo ; Massao Ohno, 1998.  76 p.  (Cadernos liberais, 8).  Em colaboração com Antonio Paim e Gilberto de Mello Kujawski.

 

Estudos sobre o autor:

ACADEMIA deve eleger hoje o substituto de Merquior.  A Tarde, Salvador, 18 jul. 1991.  p. 10.

ACADEMIA pode escolher hoje um novo “imortal”.  A Tarde, Salvador, 21 nov. 1991.  p. 9.

AMIGOS e parentes se despedem de Merquior.  O Globo, Rio de Janeiro, 10 jan. 1991.

AZAMBUJA, Marcos Castrioto de.  Merquior : dois momentos e duas dimensões. In : LAFER, Celso et al. José Guilherme Merquior, diplomata.  Brasília : Fundação Alexandre de Gusmão, 1993.  p. 21-24.  (Relações internacionais, 15).

BOECHAT, Ricardo,  FONSECA, Sílvia.  Texto de Merquior, assinatura de Collor.  O Globo,  Rio de Janeiro, 9 jun. 1992.  p. 7.

A BRILHANTE  trajetória do labirinto ideólogo da direita.  Tribuna da Bahia, Salvador, 10 jan. 1991.

CAMPOS, Roberto.  Réquiem para um liberal.  O Globo,  Rio de Janeiro, 13 jan. 1991.

CAMPOS, Roberto.  Saudades de Merquior...   A Tarde,  Salvador, 29 out. 1995.  p. 12.

CHAUI, Marilena de Souza.  O discreto encanto da democracia liberal.  Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 4 jul. 1981.

CHAUI X Merquior. Veja,  São Paulo, 16 set. 1981.  p. 10.

COIMBRA afirma que idéias básicas são do presidente. O Globo,  Rio de Janeiro, 10 jan. 1992.

COLLOR, Fernando.  O papel do estado (II).  O Globo,  Rio de Janeiro, 9 jan. 1992.  p. 7.

COLLOR admite participação de Merquior.  O Globo,  Rio de Janeiro, 10 jan. 1992.  p.  9.

CORAGEM marca momento dramático.  Tribuna da Bahia, Salvador, 10 jan. 1991.

CORPO do diplomata chegou em carro aberto à Academia.  O Globo, Rio de Janeiro, 10 jan. 1991.

CORRÊA, Luiz Felipe de Seixas.  José Guilherme Merquior : um depoimento pessoal. In : LAFER, Celso et al. José Guilherme Merquior, diplomata.  Brasília : Fundação Alexandre de Gusmão, 1993.  p. 25-30. (Relações Internacionais, 15).

COUTINHO, Afrânio.  O livro de Merquior. A Tarde, Salvador, 1º ago. 1991.  Opinião, p. 6.

A DANÇA dos estudantes.  Veja, São Paulo, 25 mar. 1992.

NOS depoimentos, o respeito pela firmeza de pensamento.  O Globo,  Rio de Janeiro, 10 jan. 1991.

DOENÇA foi enfrentada com lucidez até o fim.  O Globo,  Rio de Janeiro, 10 jan. 1991.

DÓRIA, Francisco Antonio. Um sólido engano e o medo da sombra.  Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 7 fev. 1982.

DUTRA, Pedro. A didata do liberalismo : Merquior traça um painel das idéias liberais que floresceram fora do Brasil. Jornal do Brasil,  Rio de Janeiro, 19 out. 1991.

EGBERTO diz que é apenas repetição.  O Globo, Rio de Janeiro, 9 jan. 1992.  p. 7.

FERRAZ JUNIOR, Tércio Sampaio.  A crítica como retórica iluminada.  O Estado de S. Paulo, São Paulo,  16 fev. 1991.  Cultura, n. 549, p. 3.

FÉNELON COSTA, Maria Heloisa. Merquior, Levi-Strauss e a modernidade.  Tempo Brasileiro,  Rio de Janeiro,  n. 109,  p.107-137,  abr./jun., 1992.
FONSECA JÚNIOR, Gelson. Introdução ao texto O problema da legitimidade em política internacional.  In : LAFER, Celso et al.  José Guilherme Merquior, diplomata. Brasília: Fundação Alexandre de Gusmão, 1993.  p. 31-36. (Relações Internacionais, 15).

GARCIA, Luiz.  Plágio, não.  Globo,  Rio de Janeiro,  10 jan. 1992.   p. 9.

GUILHERME Merquior é sepultado no Rio.  Tribuna da Bahia, Salvador, 10 jan. 1991. p. 3.

UM intelectual que incomodava.  O Globo,  Rio de Janeiro, 9 jan. 1991.

JAGUARIBE, Hélio. Merquior e o liberalismo.  Tempo Brasileiro,  Rio de Janeiro,  n. 109,  p. 69-81, abr./jun. 1992.

JOSÉ Guilherme Merquior morre de câncer nos EUA.  Tribuna da Bahia, Salvador, 9 jan. 1991.  p. 6.

KONDER, Leandro.  Minhas discordâncias.  Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 14 mar. 1987.  p. 7.

_____.  O “testamento” de Merquior.  O Globo,  Rio de Janeiro,  6 out. 1991.

LAFER, Celso.  Paradigma da liberdade.  O Globo,  Rio de Janeiro, 13 jan. 1991.

_____.  In Memoriam : José Guilherme Merquior (1941-1991).  Revista Brasileira de Filosofia,  São Paulo,  v. 39,  n. 161,  p. 6-8, jan./mar. 1991.

_____.  O liberalismo militante de José Guilherme Merquior.  Tempo Brasileiro, Rio de Janeiro,  n. 109,  p. 59-63,  abr./jun. 1992.

_____.  Merquior : último livro traz reflexões sobre o liberalismo. O Estado de S. Paulo, São Paulo, 21 set. 1991. Cultura, n. 580.

_____.  José Guilherme Merquior: O problema da legitimidade em política internacional. In: _____.  et al. José Guilherme Merquior, diplomata.  Brasília : Fundação Alexandre de Gusmão, 1993.  p. 9-14. (Relações internacionais, 15).

LEAL, Joaquim Ponce. José Guilherme Merquior.  Tempo Brasileiro, Rio de Janeiro, n. 109, p. 99-105, abr./jun., 1992.

O LIBERALISMO venceu o confronto com o socialismo real.  O Globo,  Rio de Janeiro, 6 out. 1991.

MACHADO, Germano.  José Guilherme Merquior.  CEPA Cultural, Salvador, n. 11, p. 1,  mar./jun. 1991.
MACHADO, Germano.  Brasil perde um pensador.  A Tarde,  Salvador,  19 jan. 1991.  Cultural,  p. 5.

MANCUSO, Maria Inês Rauter.  A legitimidade do poder.   O Estado de S. Paulo,  São Paulo, 5 mai. 1990.

MERQUIOR, de lança na mão.  Jornal da Tarde,  São Paulo,  12 jan. 1991.

MERQUIOR, Hilda. Apêndice.  Tempo Brasileiro, Rio de Janeiro, n. 109, p. 147-149, abr./jun., 1992.

MERQUIOR será enterrado hoje num mausoléu da Academia.  A Tarde, Salvador, 9 jan. 1991.  p. 1.

MODERNO, João Ricardo. Adorno e o kulturoptismus de Merquior.  Tempo Brasileiro,  n. 109, p. 83-97, abr./jun., 1992.

MORAES, João Quartim de. Ideário liberal.  O Estado de S. Paulo, São Paulo, 16 fev. 1991. Cultura,  n. 549,  p. 2-3.

A NATUREZA do processo.  O Estado de S. Paulo,  São Paulo,  2 jan. 1983.

NINA, Marcelo Della.  Viagem ao estruturalismo : José Guilherme analisa 70 anos de história intelectual de um dos movimentos mais importantes do século, Jornal do Brasil,  Rio de Janeiro, 20 abr 1991.

PAIM, Antonio. Merquior e a questão do liberalismo social. Tempo Brasileiro, Rio de Janeiro, n. 109, p. 45-58, abr./jun., 1992.

PAÍS perder um grande pensador.  O Globo, Rio de Janeiro, 9 jan. 1991.

PARA uns, plágio; para outros, procedimento normal. O Globo, Rio de Janeiro, 10 jan. 1992.  p. 9.

PENNA, Antonio Gomes.  Minha convivência e meu aprendizado com Merquior.  Tempo Brasileiro, Rio de Janeiro, n. 109, p. 21-24, abr./jun., 1992.

PRÓS e contras.  Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 14 mar. 1987.

PY, Luiz Alberto.  A estética da obesidade intelectual.  Jornal do Brasil,  Rio de Janeiro, 21 fev. 1982.

REALE, Miguel. As lições de Merquior.  O Estado de S. Paulo,  São Paulo, 16 fev. 1991. Cultura, n. 549, p. 1-2.

REZEK, Francisco.  Depoimento sobre José Guilherme Merquior.  Tempo Brasileiro, Rio de Janeiro,  n. 109,  p. 65-68, abr./jun. 1992.

RICUPERO, Rubens.  José Guilherme Merquior : a diplomacia da inteligência. In : LAFER, Celso et al. José Guilherme Merquior, diplomata. Brasília : Fundação Alexandre de Gusmão, 1993.  p. 15-20. (Relações internacionais, 15).

ROMANO, Roberto.  O décimo-nono round de Merquior.  O Estado de S. Paulo,  São Paulo,  22 mar. 1987.  p. 4.

ROUANET, Sérgio Paulo.  Uma visão coerente do mundo.  Jornal do Brasil,  Rio de Janeiro,  5 jan. 1992.

_____.  Merquior : obra política, filosófica e literária. Tempo Brasileiro,  Rio de Janeiro,  n. 109,  p. 139-146,  abr./jun., 1992.

SABOGA, Herio.  Marxismo acidental. Jornal do Brasil,  Rio de Janeiro, 14 mar. 1987.

_____.  A filosofia de Merquior.  Jornal do Brasil,  Rio de Janeiro, 11 abr. 1987.

SADER, Emir.  A ignorância ilustrada de Merquior.  Jornal do Brasil,  Rio de Janeiro,  20 jun. 1987.

SANTANA, José Carlos. Anarquista, liberal e social democrata. O Estado de S. Paulo, São Paulo,  25 jan. 1987.

SEPULTAMENTO de Merquior será hoje.  A Tarde,  Salvador, 9 jan. 1991.  p. 8.

TRIGO, Luciano. Merquior a oeste do Eden.  Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 14 mar. 1987.

_____.  O anarquista da cultura.  O Globo,  Rio de Janeiro,  9 jan. 1991.

_____.  Um patrimônio da cultura nacional.  O Globo,  Rio de Janeiro,  9 jan. 1992.   p. 7.

VERISSIMO, Luis Fernando.  A resposta do analista de Bagé, o ortoxo.  Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 7 fev. 1982.

VIÚVA manda carta ao ministro Marcílio.  O Globo,  Rio de Janeiro,  10 jan. 1992.